Cheque Moradia

Cheque Moradia (191)

Famílias em situação de vulnerabilidade social, incluindo pessoas com deficiência, mães mantenedoras do lar e idosos da Região Metropolitana de Belém receberam hoje (20), no auditório da Fundação Cultural do Pará, o benefício do Programa Cheque Moradia, numa cerimônia que contou com a participação do governador Simão Jatene, do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, entre outras autoridades.

Ao todo, 1.200 famílias foram beneficiadas com entrega de hoje. Entre elas, as que perderam suas casas no incêndio ocorrido na Passagem Bugarim, bairro da Cremação, no dia 22 de julho. Zelita Gomes dos Santos falou em nome das vítimas e destacou o trabalho rápido da prefeitura e do Governo do Estado, por meio da Cohab, em dar todo o atendimento para que as nove famílias pudessem reconstruir suas casas. "Eu agradeço a todos que se empenharam em nos ajudar, porque naquele incêndio nós perdemos tudo", declarou emocionada. "Hoje a minha família pode sonhar com um lar, graças ao Programa Cheque Moradia. As casas eram quase todas de madeira, mas hoje estamos reconstruindo tudo em alvenaria, e isso vai dar mais conforto pra todos da minha família", revelou Zelita que é parente de cinco das nove famílias que perderam tudo no sinistro.

A diretora do Programa Cheque Moradia, Ana Célia Cruz, informou que a maioria dos benefícios entregues destinam-se a novas construções tendo em vista a melhoria da qualidade de vida dessas famílias. "A maior parte da nossa clientela possui casas precarizadas, de madeira e muito antigas. Temos ainda um grande percentual de pessoas que vivem como agregadas. Nossa meta de atendimento para este ano é bem ousada, são 12 mil famílias. Estaremos atingindo todos os municípios paraenses, com foco maior para aqueles com menor índice social, como é o caso dos da região do Marajó".

A diretora da Cohab destacou ainda a atuação do Programa Cheque Moradia na Rota Turística Belém Bragança. "Nosso programa habitacional está ainda inserido no projeto de desenvolvimento turístico e econômico da região Bragantina, no percurso da antiga estrada de ferro Belém Bragança", informou Ana Célia. As famílias que residem ao longo da rota turística já receberam o benefício habitacional e dentro de pouco tempo já se poderá visualizar a mudança na qualidade de vida dessa população, que antes vivia em casas de palha ou barro.

Para o governador Simão Jatene, o programa habitacional coordenado pela Cohab é uma política pública que está consolidada e a prova disso é a satisfação das famílias beneficiadas por ele. "O Cheque Moradia já se consolidou e é um programa permanente que tem características muito fortes, chegando até aqueles que de fato precisam. Além disso, ele contribui para que as pessoas desenvolvam o sentimento da solidariedade, porque a construção em si termina sendo um desafio e acaba mobilizando a família, o bairro, enfim, num movimento que resulta nessa construção. É um programa exitoso e que não é mais do governo e sim de toda a sociedade paraense. Por isso me emociono a cada entrega. Nós já alcançamos mais de trezentos milhões de reais aplicados no programa. Alguns já tentaram desqualificar o Cheque Moradia, mas isso é perverso com um programa que tem mais de dez anos e que vem dando certo", reforçou.

Antes da cerimônia, as famílias beneficiadas assistiram um vídeo com vários depoimentos de pessoas que receberam o benefício habitacional do governo do Estado e reconstruíram, melhoraram ou ampliaram suas casas. O público presente também assistiu a participação especial do saxofonista Harley Bichara e do pianista Rubenare Marques, ambos da Fundação Carlos Gomes. Dez pessoas foram escolhidas para receber o benefício simbolicamente durante a cerimônia. Eles ocuparam lugar de destaque no palco do auditório. Ao final, a equipe da Cohab fez a entrega a todos os usuários presentes.

O Programa Cheque Moradia integra a política habitacional desenvolvida pelo governo do Estado, por meio da Cohab, que ao longo de 12 anos de existência consolidou-se como um importante instrumento de combate ao déficit e inadequação habitacional, dando às famílias paraenses a possibilidade de construir, reformar ou ampliar suas moradias, por meio de transferência de renda.

Nesse período de doze anos, o Programa habitacional beneficiou 55.345 famílias paraenses, incluindo servidores públicos do Estado, movimentando R$ 392.538.784,43 em recursos públicos. Só nos últimos quatro anos foram 26.381 famílias que receberam o benefício, totalizando cerca de R$ 280 milhões em investimentos.

Cronograma de Palestras - Confira abaixo o cronograma de palestras de orientação da equipe de engenharia da Cohab. Para cada dia, observe as iniciais dos nomes dos usuários que receberam o Cheque Moradia nesta quinta-feira(20). Essas orientações são necessárias para que os beneficiados utilizem corretamente os recursos do Cheque Moradia.

Dia 24 de Agosto (Segunda-feira)
Manhã - 8h30 : Letra A
Tarde - 14 hs : Letras B,C e D
Dia 25 de Agosto (Terça-feira)
Manhã - 8h30 : Letras E e F
Tarde - 14 hs : Letras G, H e I
Dia 26 de Agosto (Quarta-feira)
Manhã - 8h30 : Letra J,K e L
Tarde - 14 hs : Letra M
Dia 27 de Agosto (Quinta-feira)
Manhã - 8h30 : Letras N,O, P, Q e R
Tarde - 14 hs : Letras S, T , U, V, X, Y e Z.
Local: Sede da Cohab - Passagem Gama Malcher, 361 - Souza.

 Rosa Borges

  Eliseu Dias (Ag. Pará)

Seis famílias da Vila Santos, localizada no Jurunas, que perderam suas casas durante incêndio, receberam na tarde desta quarta-feira, 12, o Cheque Moradia, no auditório da Cohab.

Todas as casas destruídas pelo sinistro eram de madeira. A equipe da Cohab esteve no local, após o ocorrido, em janeiro deste ano e a Prefeitura de Belém disponibilizou o Auxílio Aluguel para as famílias vitimadas, assim como a emissão de segunda via de documentos, necessários para dar entrada nos processos de emissão do Cheque Moradia.

Ao todo, o Governo do Estado disponibilizou R$ 61.700,00 em recursos públicos para que essas pessoas possam comprar material de construção e reergam suas novas moradias, confirmando o compromisso de melhorar a qualidade de vida da população mais carente de nosso Estado.

Entre as beneficiadas, Lucidalva da Silva Oliveira, que é cadeirante, era a mais animada. "Fiquei feliz quando me ligaram pra avisar que receberia o cheque, porque quero mesmo é sair do aluguel", comemorou.

Antes da entrega do benefício, as famílias receberam da equipe técnica da Cohab todas as orientações para utilização adequada do Cheque Moradia.

O programa habitacional coordenado pela Cohab, em doze anos, já beneficiou mais de 55 mil famílias em todo o Estado do Pará, disponibilizando recursos no montante de R$ 390 milhões para compra de material visando a melhoria, ampliação e construção de novas moradias.

 Rosa Borges

 Arquivos Cohab

A sexta-feira, 07, foi especial para egressos do sistema prisional, em Belém. Eles participaram de programação em homenagem ao dia dos pais na Fábrica Esperança, também conhecida como Associação Polo Produtivo Pará.
Na ocasião, foram entregues o benefício do Programa Cheque Moradia para 26 pessoas, sendo 11 de segunda etapa e 15 de primeira etapa. O programa, que já beneficiou mais de 55 mil famílias paraenses, tem o objetivo de promover a construção, reforma ou ampliação das casas de pessoas com baixa renda.
Esses egressos fazem parte do público alvo, em situação de vulnerabilidade social, beneficiados com o programa habitacional do Governo do Estado, coordenado pela Companhia de Habitação do Pará- Cohab, que visa a redução do déficit e inadequação habitacional.
Ao todo, a Fábrica Esperança desenvolve atividades de inclusão social com 354 ex-detentos. Destes, 98 trabalham na sede, localizada na travessa Benjamin Constant, 313, no bairro do Reduto, e desempenham funções de serviços gerais, na administração, como cozinheiros ou padeiros, entre outras.
O diretor do Pólo, Marcos Lopes, ressalta que a “fábrica é do povo” e considera que o trabalho feito por eles é uma pequena contribuição para haver mudanças no cenário atual da sociedade brasileira. “Esse evento tem a função de mostrar que é possível a valorização, a reintegração de pessoas as quais estavam na margem da sociedade. Agora eles são indivíduos que possuem esperança e sonhos”, comentou.

 Rosa Borges

 Sidney Oliveira / AG. PARÁ

Vinte e duas famílias do município de São Caetano de Odivelas começam a concretizar o sonho da moradia digna, pois receberam do Governo do Estado do Pará a primeira parcela do Programa Cheque Moradia, na sede da Associação de Pescadores e Marisqueiros Artesanais Odivelense, no último sábado, (01).

Durante a cerimônia de entrega, técnicos da Cohab apresentaram todos os pontos importantes que devem ser colocados em prática nesta primeira etapa para a construção das casas, e o que é necessário para que o beneficiado tenha acesso a segunda parcela do Cheque Moradia e também para que suas casas não tenha problemas estruturais no futuro.

Maria Lourença Cruz de Almeida, agricultora de 78 anos, trabalhou na roça de feijão. Viúva e com as sequelas de uma vida de trabalho pesado, hoje ela está numa cadeira de rodas e vive em condições precárias de moradia, junto com seu filho, que é pescador artesanal. Ela recebeu em sua residência,das mãos dos técnicos da Cohab, o seu Cheque Moradia, e foi tomada por uma grande alegria. “Nem acredito que vou ter como melhorar meu teto e meu chão. Agradeço a Deus porque chegou em boa hora”, disse com lágrima nos olhos.

Um mutirão de solidariedade está sendo organizado pelo secretário da Associação Artesanal dos Pescadores, José Luís, para construir a casa de Maria Lourença e mais beneficiados que são ou têm em suas famílias pessoas com deficiência.

A Associação dos pescadores tem 10 anos de atuação e mais de 300 associados, todos ligados a principal atividade econômica que move o município, que tem na pesca um de seus principais atrativos turísticos também.

O Presidente da Associação, Alcindo Gregório, ressaltou o compromisso assumido e cumprido que o Governo do Estado tem com o povo do Pará. “Essa é uma política pública séria, é o nosso dinheiro voltando para gente”, ressaltou.

Implantado e consolidado como Lei pelo Governador Simão Jatene, o Cheque Moradia se concretiza como uma das maiores políticas de habitação do País, combatendo o déficit habitacional, respeitando as origens do cidadão, que não abandona o local onde reside, elevando a autoestima da população e promovendo a melhoria da qualidade de vida de todos.

Nessa primeira etapa, foram repassados Cheques Moradia no valor total de R$ 290.500,00, que serão utilizados na compra do material de construção, dando início as obras. Ao final, os beneficiados passarão pelo processo de prestação de contas e vistoria da engenharia da Cohab para a liberação da segunda etapa.

 Ellen Guedes - Ascom Cohab

Após uma semana do incêndio ocorrido na Passagem Bugarim, no bairro da Cremação, seis famílias vítimas do sinistro receberam na sede da Cohab, o Cheque Moradia para reconstrução de suas residências.

A Companhia de Habitação, a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda(Seaster) e Funpapa, Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, deram agilidade no atendimento das famílias que perderam tudo no incêndio, ocorrido no último dia 22.

A presidente da Cohab, Lene Farinha, entregou o benefício habitacional para as seis famílias, mas na próxima semana mais cinco também receberão o Cheque Moradia, por ainda terem pendências de documentação.

Ao todo, são onze famílias beneficiadas com o Cheque Moradia, que se enquadram nos critérios do programa habitacional, coordenado pela Cohab em todo o Estado, levando em conta a condição de vulnerabilidade social.

Entre os beneficiados, Jonas Jaques, 65 anos, declarou que ficou surpreso e ao mesmo tempo satisfeito com a agilidade na concessão do benefício. "Tô surpreso de ver a velocidade com que as coisas estão acontecendo. Não é fácil você perder tudo o que se construiu durante 40 anos, como é o meu caso. Estou muito feliz, porquê ninguém virou as costas para nós. Estamos sendo muito bem assistidos", informou o motorista profissional, que está instalado num kit net, com mais seis pessoas de sua família.

Deficientes e Idosos - A Cohab entregou hoje também o Cheque Moradia para onze pessoas com deficiência, além de 43 idosos. Estes estão inseridos no público prioritário do programa habitacional.

Francisco Monteiro Conceição é cadeirante e veio receber o benefício com a filha Izabela Souza. Ele mora há 58 anos numa casa de madeira, no bairro do Jurunas e ficou paraplégico após uma cirurgia da coluna, em 1992. Além disso, o idoso é renal crônico e faz hemodiálise desde 1995. Segundo a filha, a família já havia feito alguns reparos na casa dele visando sua acessibilidade, "mas a reforma que é necessária mesmo, nunca tivemos condições de fazer. Com o Cheque Moradia, ele vai poder ter um quarto adaptado e com mais privacidade no dia a dia", declarou a filha.

 Rosa Borges

 Arquivos COHAB

Uma equipe do governo do Estado, composta pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), Companhia de Habitação do Pará (Cohab) e Defesa Civil do Estado, esteve na manhã desta quinta-feira, 23, na Passagem Bugarin, localizada na Rua Três de Maio, bairro da Cremação, onde um incêndio atingiu e destruiu totalmente nove imóveis na tarde de ontem. O objetivo da visita foi fazer o levantamento da situação das moradias e necessidades das pessoas que ficaram desabrigadas, além de acompanhar o cadastramento dessas famílias para concessão de benefícios sociais.

A equipe social e de engenharia da Cohab também fez uma vistoria no local para viabilização do Cheque Moradia, que atenderá as famílias que se enquadrarem nos critérios do programa habitacional, em razão da condição de vulnerabilidade social.

Um cadastro das famílias está sendo feito pela Prefeitura de Belém, por intermédio da Fundação Papa João XXIII (Funpapa). A Seaster vai disponibilizar a quem perdeu suas casas o Benefício Eventual, destinado às famílias com renda mensal de até três salários mínimos e que estejam enfrentando situações de vulnerabilidade temporária e calamidade pública. O valor, que corresponde a um salário mínimo, é fornecido pelo período de três meses. Segundo a coordenadora da Seaster, Nazaré Charchar, “após o cadastro das famílias, a Funpapa encaminhará o levantamento à Seaster, que viabilizará o Benefício Eventual”.

O titular da Seaster, Heitor Pinheiro, esteve no local do incêndio ainda ontem e reuniu com as famílias desabrigadas, colocando o Estado à disposição para o que for necessário e garantindo todo o assessoramento e acompanhamento.

A Funpapa, em parceria com o Pro Paz, viabilizará toda a documentação das famílias perdida durante o sinistro para que elas possam ser atendidas tanto pelo Cheque Moradia quanto pelo Benefício Eventual.

 Inara Soares -Ascom Seaster -Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda
 Ascom Seaster

Entre os principais desafios de uma administração pública está o de promover ações que resultem em melhorias para a qualidade de vida da população, a partir de investimentos em áreas estratégicas, como infraestrutura e urbanização, levando-se em conta que a maioria das cidades apresenta um crescimento desordenado. Em muitas localidades a parceria entre governo e sociedade civil é extremamente necessária para sanar as principais carências urbanísticas, sendo a questão da habitação uma das prioritárias para o bem estar das famílias.

No Pará, um dos exemplos mais concretos de combate ao déficit habitacional é o Programa Cheque Moradia, coordenado pela Companhia de Habitação do Pará (Cohab), uma experiência que já colhe resultados significativos, com mais de 54 mil famílias beneficiadas com a construção, ampliação ou melhoria de suas moradias, e que vem colecionando uma série de histórias bem sucedidas ao longo de seus doze anos de existência.

Essas experiências mostram que com organização, parceria e solidariedade é possível construir muito mais do que moradias, incluindo nesse projetos coletivos toda uma infraestrutura necessária ao desenvolvimento urbano das cidades. A experiência vivida pelos moradores das Comunidades Água Cristal, Nossa Senhora das Candeias e São Jorge, no bairro da Marambaia, em Belém, são exemplos disso e tornam-se cada vez mais numerosos, demonstrando a força da participação popular. Nestas comunidades, o programa habitacional da Cohab chegou para mais de 300 famílias, complementando a execução de outras políticas públicas.

"Hoje temos todas as ruas pavimentadas, mas antes o acesso era feito por meio de estivas. Carro de lixo, ambulância e táxis não tinham como circular aqui. Veio então a Macrodrenagem e as famílias que estavam morando à beira do canal foram remanejadas. Só isso já mudou muito a situação da nossa comunidade, que recebeu serviços de aterramento, drenagem e pavimentação das vias. Hoje temos três linhas de ônibus coletivo, coleta de lixo, iluminação pública, posto de saúde e quatro escolas", relata a presidente do Centro Comunitário São Jorge, Paula Costeira, que reside na comunidade Água Cristal há 20 anos.

A líder comunitária diz que se sente realizada ao ver a melhoria da qualidade de vida das famílias do bairro, que foram contempladas com o Programa Cheque Moradia. Ela e Fernanda Moraes, secretária da Associação de Moradores da Comunidade Água Cristal, foram responsáveis por fazer o levantamento de demanda das famílias mais carentes. "A gente se sente realizada quando vê uma família construindo sua casa própria e percebe que fez parte dessa mudança. Ela é fruto do trabalho de várias pessoas que decidiram arregaçar as mangas e se ajudar mutuamente", declarou.

Cláudia Vanessa é um desses exemplos. Ela morava de favor na casa da mãe, com esposo e filhos. Mas um dia o imóvel foi posto à venda e, de repente, eles se viram sem ter onde morar. O casal tinha apenas um terreno onde havia uma casinha de madeira, mas sem condições de abrigá-los. Foi quando surgiu a possibilidade de se inscreverem no Programa Cheque Moradia. Após todas as etapas de seleção, o benefício finalmente chegou, em setembro do ano passado. No lugar da antiga casinha de madeira o que se vê hoje é uma construção em alvenaria, com sala, cozinha, banheiro e dois quartos. "Levamos duas semanas para construir, mas com certeza não conseguiríamos se não fosse a ajuda que recebemos do programa e das pessoas da igreja", referindo-se ao mutirão realizado pelos membros da paróquia de São Geraldo Magela.

O padre Ronaldo Menezes, pároco da igreja, foi um instrumento essencial nesse processo. Ele está há um ano e meio nas Comunidades Canal Água Cristal e Área das Candeias, onde celebra missas em duas capelas, e viu que as famílias necessitavam muito mais do que ajuda espiritual. "Quando apareceu a possibilidade de trabalhar junto com o Estado neste campo fundamental, que é a habitação, nós nos envolvemos para que o programa pudesse ser bem aproveitado em nossa comunidade e pudesse atender, em especial, às famílias mais carentes", revelou o sacerdote.

"Eles não tinham muito conhecimento, mas com o apoio da paróquia, não só no processo do cadastramento, mas nessa fase de construção, estão conseguindo um bom aproveitamento do benefício. O programa resgata a dignidade das pessoas e mostra o que é possível fazer pelas famílias de forma prática, sem muita burocracia para sua execução. O que nós vemos hoje, entre os beneficiados, é uma alegria diferente, porque a casa própria está se tornando uma realidade, a qualidade de vida está melhorando e as pessoas estão sendo respeitadas", avaliou o pároco.

A diarista Dilma Barroso Damásio mora há 28 anos na área das Candeias. O sorriso que hoje ela traz no rosto personifica a realização de seu maior sonho. Ela morava em uma casa de madeira, infestada de cupins e com risco de desabamento. Quando chovia forte, todos os cômodos eram alagados. A diarista já havia se inscrito no programa habitacional da Cohab e aguardava a visita dos técnicos do órgão. Foi nesse momento que o padre Ronaldo se interessou pelo problema dela, mobilizou outras pessoas e as coisas começaram a mudar na vida dela.

Após receber o benefício ela vendeu uma cama hospitalar que foi usada pela mãe, já falecida, e usou o dinheiro para pagar a mão de obra, já que o programa viabiliza apenas a compra do material de construção. Esse foi o pontapé inicial. Hoje, ela conta com a colaboração do filho e de um irmão para as despesas com pedreiros. "A mudança foi total para mim. Eu vivia em uma casa toda estragada e nunca teria condições de fazer nada disso se não tivesse entrado no programa. O material de construção não é barato e graças ao governo do Estado, à minha comunidade e ao padre Ronaldo, que olhou por nós e viu a nossa situação precária, nós podemos hoje respirar outros ares", concluiu.

Euzilene Feio Souza foi mais uma que provou da solidariedade de sua comunidade e em especial da igreja católica. Ela reconhece que se não fosse o empenho do Padre Ronaldo, não teria conquistado essa vitória. "Deus o usou para nos ajudar", declarou. Os membros da igreja evangélica onde ela se congrega se uniram e realizaram um mutirão, no qual ergueram sua nova casa em pouco tempo. Agora, a antiga casa de madeira deteriorada é só uma lembrança. Euzilene é mãe mantenedora do lar e sobrevive de venda de catálogos e do Bolsa Família, que recebe dos três filhos menores.

A casa de Euzilene fica ao lado da construção de outro beneficiado do programa, Cornélio Lobato. Ele mesmo é o pedreiro da obra e tem o prazer de erguer sua nova moradia. Ele ratifica a opinião dos demais beneficiados e admite que se o programa do governo do Estado não tivesse viabilizado o material de construção, ele não teria como garantir o conforto que tanto esperava dar à esposa, que trabalha com reciclagem, e à filha, que tem Síndrome de Down). "Moro aqui há dez anos, mas sempre tive confiança que as coisas iriam melhorar. Agora, com essa ajuda, estamos superando as dificuldades", admite.

Solidariedade também foi o que motivou Érica Chagas, que atua como liderança comunitária no Conjunto Maguari, a ajudar um casal de vizinhos: Milene Labareda e Benício Monteiro. Milene possui deficiência auditiva e já tinha cadastro no Programa Cheque Moradia. O casal precisou sair da casa onde morava após emissão de laudo do Corpo de Bombeiros, que atestou o risco eminente de desabamento. "Nós acionamos os Bombeiros, eles foram lá e atestaram a precariedade da casa deles. Mas uma pessoa da comunidade se dispôs a ajudá-los. Como teriam que sair imediatamente da casa, foi alugado um kitnet para que eles não ficassem na rua. Essa alma caridosa pagou três meses de aluguel, até que eles se organizassem e construíssem a casa nova", contou a líder comunitária. Segundo ela, como a família não possui renda fixa e sobrevive da venda de sorvetes, a comunidade já se organiza para realizar um mutirão e construir a casa nova.

Servidor Público ajuda moradores em Primavera

No município de Primavera, nordeste do Pará, também encontramos um exemplo de solidariedade. Todos os sábados, o servidor municipal Paulo Sérgio Silva reúne uma equipe de amigos e ajuda famílias contempladas com o Cheque Moradia, e que não têm como pagar a mão de obra, na construção de suas casas.

Paulo Sérgio Silva é encarregado de obras da Secretaria Municipal de Saúde, mas coloca seu conhecimento à disposição de quem precisa, sem cobrar nada por isso. Graças a ele, mais de 20 famílias beneficiadas com o Cheque Moradia puderam erguer suas casas. "O que a gente faz para os outros, Deus dá de volta em dobro para nós", acredita. Ele diz ter aprendido o que sabe com um tio que era encarregado de obras. "Comecei a trabalhar com meu tio com 14 anos, e aos 17 já dava conta de erguer uma casa. Agora os meus sábados são dedicados a ajudar o próximo", disse.

Outra experiência solidária foi vivida por Alacid Batista, contemplado com o Cheque Moradia em maio deste ano. Ele emocionou a todos com sua história no dia da entrega do benefício. Abandonado pela esposa, ele cria sozinho quatro filhas. Estava sendo despejado do local onde morava. Ao procurar a Cohab para se habilitar ao Cheque Moradia, conseguiu algo que seria, no mínimo, improvável, graças à solidariedade da aposentada Alice Pauxis, que estava na Cohab neste mesmo dia, resolvendo um assunto pessoal. Ao ouvir a história do vendedor de mingau, ela resolveu doar um terreno em Mosqueiro para que ele pudesse se habilitar ao programa e construir um lar digno e confortável para as quatro filhas menores. “Apenas estou devolvendo o bem que fizeram ao meu pai quando eu tinha 12 anos e ficamos nesta mesma situação. Uma pessoa de bom coração nos doou um local para morar e isso marcou nossas vidas para sempre”, declarou Alice Pauxis.

 

 Rosa Borges
 Alexandre Macêdo(Ascom Cohab), Rosa Borges(Ascom Cohab) e Eliseu Dias (Secom)

O Governo do Estado, por meio da Companhia de Habitação- Cohab, em parceria com a Prefeitura de Ourém, entregou na última sexta feira(03), a segunda parcela do Programa Cheque Moradia, beneficiando um total de cinquenta famílias no município. Após fazerem a prestação de contas do recurso recebido na primeira etapa, as famílias puderam receber a segunda parcela, necessária para a conclusão de suas casas.

Morando em uma casa cedida pela irmã, o agricultor Lucivaldo da Silva Brasil, de 51 anos, que mora com esposa e três filhos, recebeu com muita alegria a última parcela do Cheque Moradia. “A gente que vive em dificuldade não têm condições de fazer uma casa, então esse programa caiu do céu. Pra mim que não tenho onde morar é bem vindo”, comemorou.

Relembrando a trajetória do Programa que iniciou em 2003, a equipe técnica da Cohab falou da importância de seguir corretamente todos os critérios exigidos pelo programa e assim ficar apto para a obtenção do restante do recurso.

Além de palestra explicativa, a equipe da Cohab apresentou um projeto base a ser seguido, com toda orientação necessária para conclusão da moradia.

O Prefeito Valdemiro Coelho Júnior destacou a alegria de cada cidadão em realizar o sonho de ter sua casa própria. Ele agradeceu o trabalho sério feito em parceria com a equipe técnica do município e da Cohab, que é desenvolvido com responsabilidade, seguindo um padrão e as especificações da área de engenharia. O gestor abordou ainda a transparência da utilização dos recursos públicos, como os impostos que são pagos pelo cidadão e que retornam para a população em forma de políticas públicas como o Programa Cheque Moradia.

Nessa segunda etapa, 24 famílias do município receberam a segunda parcela do programa, num montante de R$150.000,00 para a conclusão dos serviços. As demais passarão pelo mesmo processo de prestação de contas e vistoria para a liberação da segunda etapa.

O município de Ourém possui muitas comunidades rurais, inclusive quilombolas, onde a maioria das habitações são de barro, e foram contempladas com o Cheque Moradia, o que reforça o compromisso do governo do Estado em alcançar aqueles que mais precisam.

 Mônica Cavallero

A entrega do Programa Cheque Moradia realizada na manhã desta sexta feira, 03, no prédio da Secretaria Municipal de Educação do município de Ananindeua, foi mais que festiva para a diarista Ana Lúcia Guimarães Costa, uma das 74 beneficiadas com o programa habitacional, coordenado pela Companhia de Habitação do Pará -Cohab.

Ana Lúcia disse que até chorou de felicidade quando recebeu a comunicação para participar da cerimônia de entrega do Cheque Moradia. Para ela, ser contemplada tem um sigificado a mais. É que há cerca de dois meses parte de sua casa desabou, e após vistoria do Corpo de Bombeiros, foi constatado risco de desabamentodo que sobrou de sua residência. "Na hora que a cozinha desabou estavam o meu esposo e meus dois filhos. A parede caiu e meu esposo se machucou. O Corpo de Bombeiros foi lá e condenaram a casa que está toda rachada", revelou.

"Esse Cheque Moradia representa a reconstrução da minha casa. Vou ter agora uma moradia digna, porque é importante a gente ter uma casa com conforto pra nossa família e isso graças ao esforço da prefeitura e da Cohab", finalizou.

A cerimônia de entrega foi prestigiada por diversas lideranças políticas locais, além de secretários municipais e do prefeito do município Manoel Pioneiro, assim como da titular da Cohab, Lene Farinha. Segundo o gestor municipal "ao criar esse programa, o governo do Estado se preocupou exclusivamente com a redução das desigualdades sociais".

Pioneiro destacou a importância da parceria com o governo estadual com as ações voltadas para a área da habitação. "Conseguimos aumentar a quantidade de casas contratadas por meio do Programa Minha Casa Minha Vida em nosso município e vamos também priorizar as ações de Regularização Fundiária e com isso fazer com que a população possa melhorar sua condição de moradia", declarou.

O investimento aplicado na entrega desta sexta feira totaliza R$ 956 mil, sendo que boa parte das famílias foi contemplada com nova construção.

A Cohab , por meio do Programa Cheque Moradia visa dar atendimento prioritário aos deficientes físicos, idosos, mães mantenedoras do lar, além de portadores de doenças degenerativas.

Rosa Borges

Numa cerimônia realizada no galpão das pastorais da Igreja Católica, 49 famílias do município de Mãe do Rio, estiveram reunidas na manhã desta quinta-feira, 25, para receber a primeira etapa do Cheque Moradia, benefício habitacional do programa coordenado pela Companhia de Habitação do Pará.

Todas as lideranças políticas presentes destacaram os grandes avanços e o alcance que tem hoje o Programa Cheque Moradia, obtidos ao longo de doze anos. "O governo do Estado pensou em vocês, que fazem parte da população mais carente, quando criou esse programa, tornando realidade o sonho que todos têm de obter a casa própria", destacou a representante da Cohab. "Além disso, ao transformar o programa em lei, o governo assegurou a continuidade do Cheque Moradia para atender o maior número de famílias, independente de quem assuma o governo estadual", finalizou.

Adeir Oliveira foi um dos contemplados. Ele está desempregado e mora com a esposa e dois filhos. O beneficiado disse que nunca perdeu as esperanças de receber a ajuda do Governo do Estado para concluir sua casa, que necessita de reforma e alguns acabamentos, como piso e reboco. "Muita gente dizia que era pra eu desistir, que isso não viria nunca. Mas eu nunca deixei de acreditar. Hoje eu tô muito feliz. O Cheque Moradia veio pra melhorar a nossa vida", declarou.

Após a cerimônia, as famílias assinaram seus contratos e o receberam o talonario do Cheque Moradia, além das orientações da equipe técnica da Cohab sobre os procedimentos para uso adequado do benefício, assim como tiveram oportunidade de fazer perguntas e tirar todas as dúvidas.

 Rosa Borges

Pagina 1 de 14
/*