Sobre acessibilidade

Serviços

14/12/2017 - 10:45

Instalada desde agosto no Residencial Taboquinha, Elisangela Paiva, de 38 anos, comemora até hoje a conquista da casa própria”. Ela que, por quase nove anos morou às margens do igarapé do Cubatão, ocupação localizada no Distrito de Icoaraci, é agora proprietária de um dos apartamentos do Projeto que já beneficiou mais de 1,5 mil famílias.

Elisângela não poupa elogios ao governo e à Companhia de Habitação do Pará (Cohab) pelo que conquistou. “Eu nunca teria condições de comprar um imóvel como esse para morar. Hoje tenho um apartamento todo em alvenaria, com banheiro, dois quartos, sala, cozinha, sem contar o saneamento, a água potável nas torneiras. Realmente não tenho do que reclamar”, conta ela, que está desempregada e mora com o marido e o filho de 15 anos.

Quem também está satisfeito com a casa nova é Marley Martins, de 43 anos. Há um ano desempregado, ele comemora a oportunidade de sair de uma condição de vida insalubre para morar com dignidade. “Morei por 20 anos na beira do igarapé, em uma casa de madeira, sem nenhum saneamento, e agora tenho uma casa de alvenaria em um conjunto muito bonito. É uma grande conquista pra mim”, comemorou o soldador, que vive com a esposa e mais dois filhos.

As entregas do Projeto Taboquinha vão continuar, assim como as obras, que seguem até o final de 2018 com a recuperação dos três lagos que cortam a área e a execução de serviços de infraestrutura. “Entregaremos mais 29 unidades habitacionais até o final deste mês, sendo 13 sobrados e uma casa térrea na área Poligonal 1F, e outras 16 unidades, sendo quatro sobrados no Bananal”, explica Lene Farinha, presidente da Cohab.

O Projeto Taboquinha, que já está com 80% das obras concluídas, compreende uma área de mais de 190 mil metros quadrados no distrito de Icoaraci, ocupada há mais de duas décadas, e beneficia ao todo 1.862 famílias. Desse total, 698 viviam em áreas alagadas, várzeas e no leito do Igarapé Cubatão, residindo em moradias precárias e desprovidas de qualquer sistema de saneamento básico. O Residencial Taboquinha já tem 12,21 km de ruas pavimentadas, 9,45 km de rede de esgoto, 2,74 km de rede de água e 6,55 km de drenagem.

A urbanização dessa área teve início em 2009, com investimento em obras de infraestrutura, serviços e habitação custeados com recursos do governo do Estado e do governo federal que contemplam a construção de unidades e melhorias habitacionais, urbanização, pavimentação de vias, implantação de rede de esgoto, drenagem pluvial e de abastecimento de água, estação de tratamento de água, centro comunitário e áreas de lazer, além de regularização fundiária dos lotes.

Todo o processo de seleção das famílias beneficiadas é validado pelo Ministério Público e pela Comissão de Acompanhamento de Obra (CAO), eleita pela própria comunidade para interlocução junto à Cohab. “Até o momento já foram entregues 663 unidades habitacionais, sendo 112 só em 2017. Até o final de março de 2018 já teremos um acumulado de 778 unidades entregues e a conclusão da parte habitacional do projeto, que vai continuar até o final do ano que vem com a finalização dos trabalhos de recuperação dos três lagos e de toda a infraestrutura. A ideia é que, mais adiante, esses lagos voltem a ser produtivos, para voltar a gerar renda à população e resgatar a função dos pescadores de Icoaraci”, finalizou a presidente da Cohab.

 

Texto: Heloá Canali (Agência Pará)

Fotos: Cristino Martins